Alguns tipos de fossas

Alguns tipos de fossas

A fossa é um tanque impermeável onde os esgotos brutos (não tratados) permanecem por algumas horas, antes de serem lançados no solo ou numa rede de coleta. Nele, microrganismos existentes naturalmente nos esgotos, mineralizam parte da matéria orgânica, gerando lodo (que deve ser retirado, pelo menos, uma vez ao ano), gases, escuma e efluente.


Fossa Sumidouro

O sumidouro é um poço sem laje de fundo que permite a penetração do efluente da fossa séptica no solo. O diâmetro e a profundidade dos sumidouros dependem das quantidades de efluentes e do tipo de solo. Mas não devem ter menos que 1m de diâmetro e mais que 3m de profundidade. Os sumidouros podem ser feitos.

Com blocos de concreto ou com anéis pré-moldados de concreto. A construção de um sumidouro começa pela escavação do buraco no local escolhido, a cerca de 3m da fossa séptica e num nível um pouco mais baixo, para facilitar o escoamento dos efluentes por gravidade.


Fossa Seca

Quando não existe água encanada na residência (o que é comum na zona rural), as fezes são então lançadas diretamente num buraco escavado no solo. O fundo da fossa seca ou “casinha” como é chamado, deve ficar pelo menos, 1,5m acima do lençol freático, pois, quando a água o atinge, a fossa seca passa a constituir-se numa fossa negra.

O que deve ser evitado sempre que possível. O piso (ou tampa do buraco) deve ser construído em concreto armado, dotado de um orifício que pode conter um assento improvisado de madeira (como na foto da direita) ou não. O tubo preto serve para reduzir o mau cheiro, o que se consegue, também, com o lançamento esporádico de cal e até pó de café. A fossa deve ficar afastada 30 m do poço e num nível abaixo.


Fossa Absorvente

Quando o terreno é muito permeável, como nas casas de praia, por exemplo, os esgotos podem ser lançados numa fossa absorvente (“sumidouro”), feita com tijolos separados, como no croqui. O marco é necessário para a sua posterior localização, para um possível reparo. A tampa é de concreto armado e a brita em torno do poço facilita a penetração da água no solo.

Campo de Absorção:

Outra solução para os solos permeáveis é o campo de absorção que pode se constituir num excelente projeto de irrigação sub-superficial. O esgoto deve passar, antes, por uma fossa séptica e por uma caixa de distribuição.


Fossa de Pedra

Quando o solo é impermeável, uma solução é a construção de uma fossa de pedra que, como o nome diz, é uma cova cheia de pedras de mão tipo seixo rolado. Os esgotos devem, antes, passar por uma fossa séptica.


Serviços de limpa fossa

O tanque séptico, mais conhecido como fossa séptica, foi a primeira unidade inventada para o tratamento de esgotos e até hoje é a mais extensivamente empregada. Saiba a seguir como funciona e como deve ser instalada.Fossas sépticas evitam o lançamento dos dejetos humanos diretamente em rios.

Lagos ou mesmo na superfície do solo. Além do aspecto ecológico, elas contém a proliferação de doenças. Por isso são essenciais aos projetos arquitetônicos que acolherão pessoas.Trata-se de um tanque enterrado que recebe os esgotos (dejetos e águas servidas), retém a parte sólida e inicia o processo biológico de purificação da parte líquida (efluente).


Características Técnicas do Tanque ou Fossa

A digestão anaeróbia representa um sistema ecológico delicadamente balanceado, onde cada microrganismo tem uma função essencial.Os tanques ou fossas sépticas consistem unidades de escoamento horizontal e contínuo que realizam a separação de sólidos leves e pesados, decompondo-os em anaeróbio.

São unidades estanques, simples, não mecanizadas, de operação fácil e de custo baixo, que realizam funções múltiplas.O tanque séptico não é um simples decantador e digestor, mas sim uma unidade que realiza simultaneamente várias funções que visam ao tratamento do esgoto local. O tamanho da fossa séptica.

Depende do número de pessoas da moradia. Ela é dimensionada em função de um consumo médio de 200 litros diários de água por pessoa.Sua capacidade, entretanto, nunca deve ser inferior a mil litros. As fossas sépticas podem ser pré-moldadas ou construídas no local.No mercado há dois tipos de fossas sépticas.


Aonde Deve Ficar uma Fossa

fossas septicasAs fossa sépticas não devem ficar muito perto das moradias, já que podem apresentar mau cheiro. Também não é aconselhável que fiquem muito longe, já que exigiria tubulações muito longas.Seus efluentes precisam ser infiltrados no solo para completar o processo biológico de purificação e eliminar os riscos de contaminação.

 No entanto, se forem fundas demais acabam sendo pouco econômicas, por conta do caimento da tubulação.O ideal é que sejam construídas na altura lado do banheiro, para evitar curvas nas canalizações. A distância recomendada é de 6 metros.Devem ficar num nível mais baixo do terreno e longe de poços ou de qualquer outra fonte.

De captação de água (no mínimo, a 30m de distância), para evitar contaminações, no caso de um eventual vazamento.A manutenção e limpeza das fossas sépticas é feita por empresas de desentupimento.


Instalando a Fossa

Para volumes maiores é recomendável que a altura não seja maior que o dobro do diâmetro para que a fossa funcione bem. Dar atenção a esse detalhe, principalmente quando a fossa for de anéis sobrepostos.A instalação de uma fossa séptica pré-moldada começa pela escavação do buraco onde ela vai ficar enterrada no terreno.

Em seguida, o fundo do buraco deve ser compactado, nivelado e coberto com uma camada de 5cm de concreto magro.Nas fossas de anéis sobrepostos, é preciso fazer uma camada de concreto magro. Nas fossas de anéis sobrepostos, é preciso fazer uma laje de 7cm de concreto armado do fundo do buraco, sobre uma camada de concreto magro.

Finalmente, a fossa pré-moldada é colocada no lugar. A tubulação que liga a caixa de inspeção (da rede de esgoto da moradia) a fossa deve ter um caimento de 2%, no mínimo, ou seja, 2cm por metro de tubulação.Para tanto, o topo do buraco da fossa deverá ficar num nível inferior ao da saída da caixa de inspeção.

As fossas pré-moldadas podem ser adquiridas diretamente dos seus fabricantes, normalmente empresas fabricantes de pré-moldados, que também dão cotações sobre a montagem das fossas no local.


Caixa de Inspeção da Fossa

Essa caixa deve ter 60cm X 60cm e profundidade de 50cm. Deve ser construída a cerca de 2m de distância da casa, numa cavidade com as dimensões de 1m X 1m e profundidade de 0,5m a 1m.O fundo desse buraco deve ser bem compactado e receber uma camada de concreto magro. As paredes da caixa podem ser feitas com blocos de concreto de 10cm de largura.

O fundo e as paredes dessa caixa devem ser revestidos com uma argamassa à base de cimento. A caixa de inspeção é coberta com uma placa pré-moldada de concreto com 5cm de espessura.


Tipos de fossas e sua manutenção

Antes de definir os diferentes tipos de fossas, vamos falar um pouco sobre o saneamento básico. O saneamento consiste no conjunto de atividades relacionadas sempre à qualidade de vida e à diminuição de possibilidades de doenças aos cidadãos. Esse conjunto refere-se ao abastecimento de água com qualidade, deslocamento de águas pluviais.

Coleta e tratamento de esgoto, limpeza urbana, controle de pragas e conscientização da população. Denomina-se básico, pois é o mínimo de que se necessita para a saúde coletiva visando à diminuição de índices de infecções e doenças.Uma das mais importantes atividades relacionadas ao saneamento básico é o tratamento de esgoto.

Que baseia-se na remoção e tratamento dos dejetos sanitários oriundos de residências, estabelecimentos comerciais e indústrias. Mas em locais nos quais esse tratamento não é eficaz, como em meios rurais e bairros isolados, por exemplo, utilizam-se as estações primárias de esgoto, denominadas fossas. As mais utilizadas são as fossas secas, as negras e as sépticas.

Dentre os três tipos, a fossa negra é menos segura à saúde humana. Isso por que a fossa negra é uma escavação sem revestimentos nas paredes e na base, o que pode proporcionar a contaminação do solo. Por isso, deve ser esvaziada e limpa num curto período de tempo.Já a fossa séptica é a mais utilizada e também a mais segura. 

Sua funcionalidade consiste em separar os dejetos sanitários num processo físico-químico que envolve três etapas. O esgoto é lançado em um tanque com baixo fluxo de água, no qual os dejetos sólidos ficam armazenados no fundo. Nesse local, a matéria orgânica é decomposta pela atividade das bactérias anaeróbias .

Os líquidos são transferidos para um segundo tanque. Nele, o material resultante é filtrado e transferido para um terceiro compartimento denominado “sumidouro”, de onde a água pode retornar à natureza. Devido à presença de organismos patogênicos na parte sólida dos dejetos, essa deve ser retirada periodicamente.

Através de um caminhão limpa-fossas e destinada a um local adequado.A terceira fossa, a seca, diferencia-se das demais por não permitir a mistura do material orgânico com qualquer tipo de líquido e, por este motivo, recebe esse nome. Deve ser construída longe de lençóis freáticos e de locais de possíveis inundações.

E o compartimento deve possuir revestimento impermeável. Assim como os outros tipos de fossas, a seca também necessita periodicamente de uma limpeza. Independentemente de qual tipo for utilizado, as fossas são fundamentais para a prevenção de doenças por evitar o contato com nascentes, rios, lagos e diretamente com o humano.