Como Fazer Fossa Séptica Biodigestora

Como Fazer Fossa Séptica Biodigestora

Serviço e Como Fazer Fossa Séptica Biodigestora – Solução tecnológica, de fácil instalação e custo acessível, que trata o esgoto do vaso sanitário (ou seja, somente a água com urina e fezes humanas) de forma eficiente, além de produzir um efluente que pode ser utilizado no solo como fertilizante. O sistema básico, dimensionado para uma residência com até 5 moradores, é composto por três caixas interligadas.

Sucção de Fossa: Como é Feita?

A única manutenção é adicionar mensalmente uma mistura de água e esterco bovino fresco (5 litros de cada), que fornece as bactérias que estimulam a biodigestão dos dejetos, transformando-os em um adubo orgânico, de comprovada eficácia e segurança. O tratamento não gera odores desagradáveis, não procria ratos, moscas e baratas, evita contaminação do meio ambiente, gera produtividade saudável e economia em insumos na agricultura familiar.

Um dos principais pontos para garantir uma boa qualidade de vida e mitigar riscos à saúde é a água encanada e, talvez até mais importante, um bom sistema e tratamento ou escoamento de esgoto. Enquanto isso é um dever da grande maioria das prefeituras do Brasil, algumas zonas infelizmente não podem contar com saneamento básico oferecido pelos órgãos públicos.

Os principais lugares que podem ter deficiência no saneamento básico são as zonas rurais e, em alguns casos, bairros de periferia. Nesses ambientes a coleta e o tratamento de esgoto se faz necessário, mas deve ser feito com o auxílio das fossas sépticas. Entre os principais tipos de fossas estão as fossas biodigestores. Esses são modelos autossuficientes e que podem oferecer uma melhora considerável na gestão de dejetos de qualquer ambiente.

Para explorar mais sobre esse tipo de sistema, a Limpa Fossa Porto Alegre 24 horas reuniu algumas informações para que nossos clientes fiquem mais cientes e entendam mais sobre esse importante sistema para diversos ambientes e residências.


Serviço e Como Fazer Fossa Séptica Biodigestora


Serviço de Desentupimento de Fossa Séptica Biodigestora

O que é uma fossa biodigestora
A fossa biodigestora funciona como outras fossas sépticas, ela fica responsável por tratar os efluentes que são despejados pela descarga através de diferentes processos. Quando bem executada, a fossa biodigestora devolve para o solo a água tratada e que não oferece risco de contaminação para a natureza.

Confira como esse sistema funciona.

O sistema funciona no vaso sanitário. Assim que a descarga é acionada, os efluentes são levados para a primeira parte do sistema de tratamento de esgoto através de uma ligação direta de canos. Nessa primeira etapa os efluentes ficam armazenados por um determinado período e passam pela biodigestão. Nesta caixa acontece um procedimento interessante e que separa a fossa biodigestora de outros modelos. A biodigestão é feito através de uma mistura de esterco de boi e água.

É colocado um total e 10 litros de esterco de boi para 10 litros de água. Em fazendas e áreas rurais, onde esses sistemas são mais utilizados, o uso do esterco torna a fossa biodigestora autossuficiente e um excelente sistema para tratamento de esgoto. As bactérias presentas na mistura de esterco com água são capazes de decompor as bactérias presentes nos dejetos humanos em um processo chamado de biodigestão. Quando a primeira caixa começa a encher, ela transborda para a segunda etapa.

Esse procedimento faz com que os gases sejam produzidos mais rapidamente e eventualmente liberados por diversas válvulas. No procedimento final, a fossa séptica recebe todos os dejetos tratados, já livres de coliformes fecais e totalmente seguros para despejo ou reuso. O material orgânico final é rico em nitrogênio, fósforo e potássio, além de micronutrientes que podem ser usados como adubo orgânico, seguro e natural. O processo total de digestão da fossa dura um período de até 120 dias.

Para que ela serve?
Bom, como dá para entender pelo processo de funcionamento, a fossa séptica serve para tratar o esgoto de uma residência e ainda assim ter usos posteriores como adubo em diversas situações. Esta é uma das opções mais amigáveis com produtores rurais e pequeno e médio porte ou até mesmo para uso em uma comunidade. A simplicidade do projeto também auxilia bastante na sua aceitação e também na usabilidade em diversos ambientes.

Quanto custa uma fossa biodigestora?
Outra grande vantagem das fossas sépticas biodigestoras é que ela tem um preço bem mais flexível do que outros modelos, já que ela pode ser construída e diferentes materiais que podem alterar bastante o preço. Por exemplo, a estrutura da fossa séptica biodigestora pode ser feita de caixa de PVC ou então com manilhas de cimento, que são relativamente mais baratas. Esses sistemas também podem ser feitos de alvenaria por um bom pedreiro.

Ou seja, o custo da fossa biodigestora pode variar bastante e agradar a diferentes bolsos e necessidades, tornando essa opção ainda melhor para os ambientes rurais que podem variar em orçamento disponível. Também vale considerar que as fossas sépticas biodigestoras podem economizar bastante com limpeza e com o contrato de caminhos para carregar os dejetos que sobram, já que muito pode ser reutilizado. Com o tempo, essa economia pode superar preço total pago pelo projeto original.

Com essas vantagens, a fossa séptica é um excelente sistema de tratamento de esgoto e que pode causar um impacto muito positivo para o meio ambiente e para os residentes de um local. Lembrando que a fossa biodigestora precisa ser elaborada com um projeto eficiente e que esteja de acordo com o que é determinado pelos órgãos de segurança do meio ambiente.  O saneamento básico é reconhecido como elemento central para a melhoria da saúde no Brasil e, também, como parte importante da agenda pública do País.

É urgente a necessidade de soluções para o tratamento do esgoto doméstico e melhorias nos precários índices relacionados ao setor. No caso da Amazônia, particularmente, nas áreas alagadas de várzea, a implementação dessas soluções é ainda mais complicada, necessitando de tecnologias específicas devido às peculiaridades geográficas da Amazônia. A Fossa Séptica Biodigestora (FSB) adaptada para áreas de várzea atende às necessidades básicas de saneamento das comunidades ribeirinhas que vivem no estuário.

Em áreas sujeitas a inundações diárias devido às marés oceânicas. Além de ajudar a diminuir os problemas de saúde pública, principalmente, relacionados às doenças transmitidas via hídrica, o uso da FSB adaptada, também está gerando interesse pela possibilidade de utilização do efluente como biofertilizante. As adaptações na FSB envolveram questões como a suspensão da fossa.

Pois na várzea não é possível enterrá-la devido à inundação, uso de caixas de polietileno, uso de novos inoculantes, substituição de peças hidráulicas e conexão dos gases a um sistema de saída do efluente canalizado. Essas adaptações foram testadas e validadas em parceria com a Associação de Trabalhadores Agroextrativistas da Ilha das Cinzas (Ataic), Contrato-Convênio no 02/2014, com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Espera-se com esta obra, que qualquer pessoa ou população que busque uma alternativa para tratamento de esgoto doméstico em áreas de várzea, encontre, de forma clara e objetiva, os principais direcionamentos para iniciar e finalizar a construção desse sistema de tratamento. Trata-se de um sistema eficiente, simples em termos de construção e manutenção, que evita a poluição dos rios pelo esgoto sanitário, promovendo a saúde, o bem-estar e, consequentemente, o desenvolvimento local.

A fossa séptica biodigestora (FSB) é uma solução tecnológica para tratamento de esgoto em áreas rurais, sendo um sistema simples e de baixo custo. Com esse sistema é possível tratar o esgoto dos banheiros (fezes e urina humanas) de forma eficiente, eliminando o mau cheiro e reduzindo os micróbios que podem causar doenças. Essa tecnologia social de saneamento ambiental, foi desenvolvida pela Embrapa Instrumentação, em 2001, para atender comunidades rurais.

A tecnologia vem sendo utilizada em várias comunidades espalhadas pelo Brasil e faz parte do programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida”, que conta com um recurso adicional específico para tratamento de esgoto com a fossa séptica biodigestora. Essa tecnologia visa reduzir o uso de fossas negras e sumidouros, a contaminação do solo, bem como o lançamento do esgoto não tratado nos rios. Ela permite ainda que o adubo líquido (efluente) que sai no final da fossa, seja utilizado na fertilização de plantas.


Limpa Fossa