Diferenças entre fossa séptica e sumidouro.

fossa séptica representa um sistema primário de tratamento de esgoto, sendo um dos métodos mais conhecidos em todo o mundo; utilizado principalmente em áreas rurais não atendidas pelo sistema público de coleta de efluentes, como fazendas etc. O processo consiste basicamente na degradação ou decomposição químico-biológica dos resíduos, através da ação de bactérias, permitindo a absorção do líquido final pelo solo, sem impactos nocivos à natureza ou meio ambiente.

É comum, entretanto, haver muita confusão no momento em que se deve diferenciar alguns termos como, fossa séptica, fossa negra e sumidouro. Este último, por exemplo, integra o sistema de fossa séptica, desempenhando uma importante função na etapa final do tratamento dos efluentes de sua residência, comércio ou indústria. O mesmo precisa ser instalado de acordo com as distâncias mínimas recomendadas e em solo adequado para seu pleno funcionamento. (um terreno argiloso, por exemplo, não é recomendável devido a sua alta compactação).

Funcionamento de uma fossa séptica.

Apesar de parecer simples o funcionamento de uma fossa séptica ocorre por meio de um complexo processo químico e biológico, garantindo o tratamento gradual dos dejetos com a finalidade de não gerar impactos nocivos à natureza.

A primeira etapa do processo consiste na coleta dos efluentes dentro do primeiro tanque séptico onde ocorre o que chamamos de decantação, ou seja, a separação entre sólidos e líquidos pela ação simples da gravidade, permitindo que a parte mais pesada (dejetos sólidos) fique depositada no fundo do reservatório, formando o “lodo”. De acordo com as normas vigentes ambientais, parte deste lodo (cerca de 10%) deve permanecer no tanque séptico durante os trabalhos de esgotamento para que a ação das bactérias presentes tenha continuidade.

Após a separação entre as partes sólidas e líquidas do esgoto se inicia o processo de decomposição ou degradação biológica dos efluentes por meio da ação de bactérias anaeróbicas (que sobrevivem sem oxigênio); as quais necessitam de condições favoráveis para seu desempenho, como demonstrado a seguir.

Nesta etapa ocorre a liberação de gases, entre eles o gás metano, que escapam pelas válvulas ou “respiros” de saída da fossa. Dependo de como a estrutura da fossa foi executada, esses são os gases responsáveis pelo mau cheiro dentro das residências e outros estabelecimentos, nos quais os métodos de vedação (ralos protegidos, peças sanitárias bem assentadas, etc) não funcionam de modo satisfatório.

Após este processo os dejetos ficam divididos entre lodo, parte líquida e escuma (camada quase sólida que boia na superfície da parte líquida).

Conforme o tanque séptico vai enchendo, o líquido passa para o interior do segundo tanque por meio de transbordamento, dentro do qual ocorre sua filtração através de um filtro natural composto por cascalho e areia. Este é o último processo antes do líquido resultante ser despejado no sumidouro.

Funcionamento do sumidouro.

Depois de todo o processo acima descrito, o resíduo é depositado, finalmente, no sumidouro; o qual é construído com elementos vazados que permitem a absorção do líquido final pelo terreno e a transformação deste residual em sais minerais pela ação de outras formas de bactérias presentes no solo. O objetivo nesta última etapa é fazer com que o líquido final desapareça ou “suma” (Daí o nome “sumidouro”) na natureza sem nenhum impacto ambiental.

Diferenças entre fossas sépticas, negras e sumidouros.

Conhecendo o funcionamento dessas estruturas fica mais fácil entender as diferenças entre fossas sépticas, negras e sumidouros. O sumidouro, conforme demonstrado, corresponde à etapa final do sistema séptico, sendo de fundamental importância para a completa destinação dos dejetos líquidos. Já a fossa negra consiste num simples buraco feito no terreno, muitas vezes sem nenhum revestimento, onde o esgoto é despejado diretamente no solo, causando a contaminação de fontes de água etc. Seu uso, vale lembrar, é proibido pelas atuais leis ambientais.

Cuidados na instalação de fossas sépticas e sumidouros.
Na momento de instalar ou construir uma fossa séptica, é preciso seguir alguns parâmetros que auxiliam na qualidade e funcionamento da estrutura:

  • A instalação deve sempre ter uma distância mínima de pelo menos 4 metros da residência, evitando assim o mau cheiro.
  • A fossa e o sumidouro nunca devem ficar próximos de sistemas de capitação de água (a distância mínima recomendada é de 30 metros).
  • O sistema deve ser preferencialmente instalado ao lado do banheiro, em um nível mais baixo que o terreno, mas evitando ao máximo curvas em excesso nas tubulações.
  • A fossa deve receber apenas efluentes e dejetos humanos ligados ao banheiro. Evite despejar esgotos de ralos e pias. O sabão e outros produtos provenientes de pias e lavanderias podem atrapalhar o funcionamento das bactérias anaeróbicas, uma vez que podem impermeabilizar o sumidouro, prejudicando a etapa final do processo.