Fossa saiba o que é e para que serve e como realizar sua manutenção

Fossa saiba o que é e para que serve e como realizar sua manutenção

Fossa saiba o que é e para que serve e como realizar sua manutenção e como realizar sua manutenção a Fossa séptica é a unidade de tratamento de esgoto primária.

E ali acontece a separação e transformação físico química da matéria sólida contida no esgoto. A parte sólida vai se depositando no fundo da fossa e as bactérias anaeróbias vão fazendo a decomposição da matéria orgânica.

De modo que os resíduos possam ser lançados novamente na natureza causando um impacto menor do que o esgoto in natura. Por este motivo são chamadas de unidades de tratamento de esgoto primárias.


Manutenção da Fossa

A principal manutenção que deve ser feita nas fossas é a sua limpeza. O esgotamento deve ser realizado com caminhão limpa fossa equipado com equipamento de succção a vácuo.

O equipamento deve sugar todo o conteúdo da fossa e em seguida aplicar hidrojateamento para fazer a lavagem do sistema e deixá-lo completamente vazio novamente.

Em seguida suga-se o restante da sujeira que se soltou. Esse material é transportado e descartado em centros de tratamento de esgoto definidos pela legislação local.


Fossa Séptica: O que é?

Fossa séptica é um sistema de tratamento de águas residuais subterrâneo altamente eficiente e autônomo. Como os sistemas sépticos tratam e eliminam as águas residuais domésticas no local.

Eles são geralmente mais econômicos do que os sistemas centralizados de esgoto. Ao contrário de um sistema de esgoto urbano que direciona as águas residuais em um sistema de drenagem central.

Fossas sépticas são um sistema localizado no local. Os sistemas sépticos são normalmente encontrados em áreas rurais e suburbanas, e são projetados, construídos, operados e mantidos de forma que representam pouca ameaça.

No entanto, sistemas sépticos mal projetados, podem contaminar as águas subterrâneas ou superficiais.


Fossa Séptica: Como Funciona?

Toda os dejetos que saim são transportados atráves de tudos que chegam no tanque séptico, o tanque séptico é um recipiente impermeável e enterrado, geralmente feito de concreto.

Seu trabalho é reter as águas com resíduos por tempo suficiente para permitir que os sólidos se depositem no fundo formando uma espécie de lodo, enquanto outros resíduos flutuam para o topo como um tipo de espuma.

Os compartimentos impedem que o lodo e a espuma deixem o tanque e viajem para a área do dreno e a água residual líquida sai do tanque para o esgoto. O campo de drenagem é uma escavação rasa e coberta.

Feita em solo não saturado. As águas residuais pré-tratadas são descarregadas através de tubulações em superfícies porosas que permitem que as águas residuais sejam filtradas pelo solo.

O solo aceita, trata e dispersa as águas residuais à medida que penetra no solo, descarregando finalmente nas águas subterrâneas. Se o campo de drenagem estiver sobrecarregado com muito líquido, ele poderá inundar.


Funcionamento

Esse mecanismo funciona a partir da remoção de materiais flutuantes que, por serem mais leves, tendem a permanecer em suspensão no efluente, próximos à superfície do tanque.

 Também, dos materiais sólidos, que por serem mais pesados, acabam se depositando no fundo da unidade. Os materiais flutuantes, podem ser constituídos de óleos, graxas e materiais leves.

E formam um material chamado de Escuma, na superfície do tanque. Já o material depositado no fundo do tanque, chamado de lodo de fundo, é constituído de sólidos orgânicos e tendem à sedimentação, por serem mais pesados.

O material que ficou retido no fundo do tanque irá sofrer decomposição através da ação de bactérias anaeróbias. Devido à decomposição, a quantidade de matéria orgânica será reduzida.

De forma que o volume de lodo depositado no fundo do tanque também reduzirá e ocupará menos espaço. Entretanto, a taxa de acumulação de lodo é mais rápida do que sua taxa de decomposição.

Resultando em um acúmulo inevitável de lodo no fundo do tanque. Dessa forma, o volume útil da unidade será comprometido, sendo necessário que o lodo e a escuma acumulados sejam removidos periodicamente.

Os tanques sépticos são projetados com elevado tempo de detenção hidráulica, na ordem de 12 a 24 horas. Entretanto, a aplicação de taxas muito elevadas pode prejudicar o funcionamento desse dispositivo. 

Vazões muito grandes podem ocasionar perdas de sólidos e consequente deterioração da qualidade final do efluente.


Remoção do Lodo

Caso o lodo de fundo não seja removido, será acumulado excessivamente, reduzindo-se o volume reacional do tanque. Isso acarretará, como consequência, a redução do tempo de detenção hidráulica do efluente no tanque.

A remoção do lodo pode ser realizada de duas maneiras distintas. Através de pressão hidrostática, instalando-se no tanque um dispositivo com carga hidráulica mínima de 1,2 m.

De forma que o lodo é dirigido para um leito de secagem. Ou através de bombeamento, utilizando-se um mangote de sucção que é inserido no interior do tanque e o lodo é, assim, bombeado para fora e recolhido por um caminhão.

Algumas autoridades de saúde exigem que os tanques sejam esvaziados em intervalos prescritos, enquanto outros, deixam a decisão a cargo de um inspetor. 

Alguns sistemas exigem bombeamento com maior periodicidade, enquanto outros, podem ter a duração de 10 a 20 anos entre os bombeamentos.

Assim que o lodo é removido, a decomposição anaeróbica é reiniciada rapidamente quando o tanque é reabastecido.



Fossa saiba o que é e para que serve e a ligação da rede de esgoto à fossa

A rede de esgoto da moradia deve passar inicialmente por uma caixa de inspeção, que serve para fazer a manutenção do sistema, facilitando o desentupimento, essa caixa deve ter 60 cm X 60 cm e profundidade de 50 cm.

Construída a cerca de 2 metros de distância da casa. Caixa construída em alvenaria, ou pré-moldada, com tampa de concreto. 


Distribuição dos efluentes no solo

As duas principais técnicas para distribuição e infiltração dos efluentes no solo são:

-Valas de infiltração

-Sumidouros

A utilização de um ou outro vai depender do tipo de solo e/ou dos recursos disponíveis para a sua execução.


Vala de Infiltração

Recomendadas para locais onde o lençol freático é muito próximo à superfície. Esse sistema consiste na escavação de uma ou mais valas, nas quais são colocados tubos de dreno com brita, ou bambu,

Preparado para trabalhar com dreno retirando o miolo, que permite, ao longo do seu comprimento, escoar para dentro do solo os efluentes provenientes da fossa saiba o que é e para que serve.

O comprimento total das valas depende do tipo de solo e quantidade de efluentes a ser tratada. Em terrenos arenosos 8 m de valas por pessoa são suficientes. Em terrenos argilosos são necessários doze metros de valas por pessoa. 

Entretanto, para um bom funcionamento do sistema, cada linha de tubos não deve ter mais de trinta metros de comprimento. Portanto, dependendo do número de pessoas e do tipo de terreno.


Sumidouros

O sumidouro é um poço sem laje de fundo que permite a infiltração (penetração) do efluente da fossa séptica no solo. O diâmetro e a profundidade dos sumidouros dependem da quantidade de efluentes e do tipo de solo. 

Mas, não deve ter menos de 1m de diâmetro e mais de 3 m de profundidade, para simplificar a construção. Os sumidouros podem ser feitos com tijolo maciço ou blocos de concreto ou ainda com anéis pré-moldados de concreto.

A construção de um sumidouro começa pela escavação do buraco, a cerca de 3m da fossa saiba o que é e para que serve séptica e num nível um pouco mais baixo, para facilitar o escoamento dos efluentes por gravidade. 

A profundidade do buraco deve ser 70 cm maior que a altura final do sumidouro. Isso permite a colocação de uma camada de pedra, no fundo do sumidouro, para infiltração mais rápida no solo, e de uma camada de terra.

Os tijolos ou blocos só devem ser assentados com argamassa de cimento e areia nas juntas horizontais. As juntas verticais devem ter espaçamentos(no caso de tijolo maciço, de um tijolo).