Limpa Fossa em Bom Fim

Limpa Fossa em Bom Fim

A Limpa Fossa em Bom Fim conta com equipamento para retirar os resíduos e limpar o seu tanque estamos a disposição. Temos um diretório completo de limpa fossa licenciados, com referências e preços competitivos para fazer o serviço de Limpa Fossa em Bom Fim. Pode ser um tanque imenso ou até mesmo um bem simples que os serviços são sempre da mais alta qualidade. Ligue agora mesmo sem compromisso.

Nossos funcionários são treinados para explicar claramente quais são as opções disponíveis para a realização do serviço de Limpa Fossa em Bom Fim, deixando você livre para decidir qual a opção que mais agrada. Cuidar bem do seu sistema séptico é economizar em custos de manutenção e proteger a qualidade da água. Não espere até que você tenha um problema, a limpeza de rotina aumenta a vida útil do tanque além de prevenir falhas no sistema.

Temos equipes preparadas para atender em todos os bairros. Fale com a Limpa Fossa em Bom Fim e receba orçamentos e tire suas duvidas. Para uma boa manutenção do sistema, você precisa ter o seu tanque séptico bombeado e limpeza a cada um a três anos. Em média uma casa com dois banheiros e três ocupantes irá produzir mais de 150.000 litros de águas residuais por ano, isso significa uma media de 400 litros por dia!

Receba agora os orçamentos de Limpa Fossa em Bom Fim sem compromisso. Esgotamento de fossa séptica, fossa negra, sumidouros, tanque de decantação e poços de recalque.  Poucos proprietários conhecem o sistema de funcionamento de uma fossa séptica, o sistema séptico fornece um serviço essencial e é um dos sistemas mais importantes em sua casa. Seu tanque séptico recolhe e trata os resíduos provenientes de todo o esgoto.


Limpa Fossa

Bom Fim em Porto Alegre

Bom Fim em Porto Alegre

Bom Fim é um bairro nobre da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, criado pela lei 2022 de 7 de dezembro de 1959. O Bom Fim teve origem no antigo Campo da Várzea, assim denominado popularmente. Ficava numa área pública de 69 hectares que servia de acampamento para os carreteiros e na qual permanecia o gado destinado ao abastecimento da cidade.

O Campo da Várzea passou a ser conhecido como Campos do Bom Fim devido à construção da Capela Nosso Senhor Jesus do Bom Fim[2], iniciada em 1867 e concluída em 1872. Até o final do século XIX não houve grandes alterações no local. Poucas casas velhas e algumas chácaras espalhavam-se na região. Todo o resto, segundo cronistas como Ary Veiga Sanhudo, “era bom mato, com excelente caça, onde inúmeras vezes encontravam seguro abrigo os escravos fugidos”.

Por ocasião de uma alforria coletiva promovida pelo Centro Abolicionista, para comemorar o feito, passou a chamar-se de “Campos da Redempção”. Após a abolição da escravatura, muitos libertos, sem ter para onde ir, instalaram-se na região.

Por volta do final da década de 1920, os primeiros membros da comunidade judaica começaram a se instalar ao longo da Avenida Bom Fim. O escritor Moacyr Scliar, que passou sua infância no bairro, em seu livro A guerra no Bom Fim, descreveu a vida dos moradores do bairro à época da Segunda Guerra Mundial, embora de modo fantasioso

Algumas residências, pequenas lojas e oficinas deram início ao processo de povoamento efetivo do bairro. A diversificação desse pequeno comércio acompanhou o crescimento natural da cidade, vindo o Bom Fim a constituir-se como bairro residencial e comercial, com destaque para as lojas de móveis. O bairro abriga algumas construções históricas como o prédio da Sociedade Italiana do Rio Grande do Sul, fundada em 1893.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bom_Fim