O que é uma fossa negra?

O que é uma fossa negra?

Existem vários tipos de fossas, hoje vamos falar um pouco sobre a fossa negra. Esse tipo de fossa é um meio de saneamento bastante primitivo que surgiu com objetivo de evitar os problemas causados pela contaminação do meio ambiente por objetos que antes eram lançados diretamente em rios, lagos ou no próprio solo.

Sua estrutura consiste em um buraco no solo, não necessariamente coberto, onde são levados os dejetos. Como não se trata de estanque, esse conteúdo pode vir a se infiltrar no solo trazendo riscos de contaminação aos lençóis freáticos. Apesar de ser tão antiga, a fossa negra ainda pode ser encontrada em regiões mais pobres.

Que não contam com redes de esgoto ou ainda em áreas rurais, apesar de não haver uma fiscalização eficiente, o uso desse tipo de fossa é proibido em vários lugares do Brasil justamente por conta dos riscos descritos.


Mas quais as alternativas viáveis e corretas à fossa negra?

As opções mais eficientes são as fossas sépticas e as mini estações de tratamento de esgoto. As fossas sépticas minimizam os problemas das fossas negras porque nela os dejetos não entram em contato direto e as mini estações de tratamento de esgoto devolvem ao ambiente uma água já tratada que pode ser reutilizada.

A fossa negra é a forma mais primitiva de saneamento desenvolvida pelo homem na tentativa de afastar de si os problemas de saúde e bem-estar causados pela presença no ambiente de contaminantes oriundos dos mais diversos dejetos, evitando o lançamento em rios, lagos ou mesmo diretamente na superfície do solo.

Ela consiste basicamente em um buraco no solo, coberto ou não, para onde são direcionados a água e os dejetos. Por não ser estanque, a fossa negra permite que seu conteúdo infiltre e se dissipe (não conta com nenhum tipo de deflúvio), liberando mais espaço em seu interior e ao mesmo tempo contaminando o solo e lençol freático.

Ainda nos dias de hoje, é comum encontrarmos esse tipo de fossa irregular em regiões pobres das cidades que não possuem acesso à rede de esgoto e também em assentamentos nas áreas rurais. A motivação de muitas famílias para a adoção desse tipo de fossa em suas residências está relacionada em parte ao desconhecimento de outras alternativas.


A Fossa Negra e a Legislação

A fossa negra é proibida em diversos municípios e Estados brasileiros devido aos riscos ao meio ambiente que elas representam. Há relatos de que muitas vezes nos projetos apresentados para aprovação nas prefeituras constam a adoção de fossas sépticas, mas no momento da execução da obra o que ocorre de fato é a fossa negra. 

Como a fiscalização é precária, o dito popular “o que os olhos não vêem o coração não sente” se faz presente, no entanto, o morador está cavando um sério problema para si e para o meio ambiente.


As alternativas viáveis

Em última análise, a melhor maneira de se combater este problema é através da conscientização das pessoas, divulgando alternativas viáveis e corretas à fossa negra. As mais comumente aplicáveis nas regiões onde não há rede de esgoto instalada, são as fossas sépticas e as mini estações de tratamento de esgoto.

A diferença entre uma fossa séptica e uma fossa negra reside no fato de que a primeira é considerada uma estação primária de tratamento de esgoto, ou seja, aqui os dejetos não entram em contato direto com o solo ou lençol freático, antes desse contato acontecer no sumidouro, o esgoto tem sua parte sólida separada de sua parte líquida. 

A parte sólida passa por um processo de decomposição anaeróbia (sem presença de oxigênio), reduzindo a quantidade de matéria orgânica e tornando o resíduo menos prejudicial à natureza. Já as mini estações de tratamento de esgoto são capazes de devolver ao ambiente água passível de reuso inclusive. Nesse processo, além da decomposição anaeróbia.

Ocorre também a decomposição aeróbia e são a alternativa mais amigável ao meio ambiente. Para saber mais sobre as alternativas à fossa negra leia esse artigo sobre tratamento ecológico de esgoto que preparamos para você.


Buraco criminoso: fossa negra

Nos locais onde ainda não há rede de esgoto, a solução correta e possível é a execução de fossas sépticas. A falta de conhecimento técnico dos proprietários dos imóveis, porém, acaba causando um crime ambiental, pois o que se constrói na prática é apenas um buraco na terra ou uma caixa enterrada de alvenaria e para lá encaminham todo esgoto sanitário daquela casa.

Isto é um crime ambiental, pois todo aquele efluente sanitário lançado no buraco de terra ou na caixa vai poluir o solo e o lençol freático com coliformes, contaminando a água dos rios e da mina d’água mais próxima. O correto é a construção de uma fossa séptica, conforme a norma técnica brasileira NBR 7229. 

A fossa é composta de uma caixa previamente dimensionada, impermeável, isolada do solo, onde as bactérias anaeróbicas vão digerir todo aquele esgoto, em especial as matérias sólidas.Restará um efluente que, após um determinado tempo de residência na fossa, pode ser infiltrado através de um sumidouro. 

O sumidouro é uma caixa cheia de brita por onde o efluente – já tratado, por ter passado pela fossa – vai ser infiltrado no solo.Se sua casa está situada em local com rede de esgotos, você está obrigado pela legislação a conectar sua casa na rede existente, sob pena de ser penalizado por crime ambiental. Se não tem rede de esgotos em sua rua.

Antes de construir sua fossa consulte um engenheiro ou firma especializada sob pena de você estar se tornando um poluidor, ao contaminar a água com micro-organismos que vão causar sérias doenças para outros brasileiros. O mesmo acontece na zona rural, onde boas alternativas são as fossas coletivas para várias casas. 

Infelizmente o que se vê em 99% dos casos são fossas negras, tanto em residências quanto em empresas e propriedades rurais – uma solução de dois séculos atrás.As doenças de veiculação hídrica são as maiores responsáveis pela ida aos postos de saúde de crianças que, brincando com a água, acabam por contrair doenças que podem levá-las à morte.

Se você mora onde há rede de esgotos, verifique se sua casa está ligada na rede; se não, aja rápido, pois a concessionária poderá multá-lo se não o fizer, já que existe obrigação legal de fazê-lo.Se você mora onde ainda não existe rede de esgoto, avalie a sua fossa, e com 99% de certeza vou lhe dizer que você está poluindo o solo e a água de sua cidade.

Tome uma atitude e procure um engenheiro civil ou um arquiteto e peça ajuda para instalar uma fossa séptica conforme a norma técnica brasileira e deixe de ser um poluidor. Afinal, se temos restrições a quem é poluidor, devemos fazer a nossa parte.