Sumidouro e fossa séptica como funcionam

Sumidouro e fossa séptica como funcionam

Sumidouro e fossa séptica como funcionam o tanque séptico, mais conhecido como fossa séptica, foi a primeira unidade inventada para o tratamento de esgotos a até hoje.

Saiba a seguir como funciona o sumidouro e fossa séptica como funcionam e como deve ser instalada. Fossas sépticas evitam o lançamento dos dejetos humanos diretamente em rios, lagos ou mesmo na superfície do solo.

Além do aspecto ecológico, elas contém a proliferação de doenças. Por isso são essenciais aos projetos arquitetônicos que acolherão pessoas.

Trata-se de um tanque enterrado que recebe os esgotos (dejetos e águas servidas), retém a parte sólida e inicia o processo biológico de purificação da parte líquida (efluente).

Veja a seguir suas características e regras de construção e instalação.


Características Técnicas do Tanque ou Fossa Séptica

Os tanques ou fossas sépticas consistem unidades de escoamento horizontal e contínuo que realizam a separação de sólidos leves e pesados, decompondo-os em anaeróbio.

O tanque séptico não é um simples decantador e digestor, mas sim uma unidade que realiza simultaneamente várias funções que visam ao tratamento do esgoto local.

O tamanho da fossa séptica depende do número de pessoas da moradia. Ela é dimensionada em função de um consumo médio de 200 litros diários de água por pessoa.

Sua capacidade, entretanto, nunca deve ser inferior a mil litros. As fossas sépticas podem ser pré-moldadas ou construídas no local.

No mercado há dois tipos de sumidouro e fossa séptica como funcionam, independentemente de sua capacidade: as inteiriças, constituídas de uma única peça, e as de anéis, com encaixes para sobreposição.


Aonde Deve Ficar uma Fossa Séptica

As fossa sépticas não devem ficar muito perto das moradias, já que podem apresentar mau cheiro. Também não é aconselhável que fiquem muito longe, já que exigiria tubulações muito longas.

Seus efluentes precisam ser infiltrados no solo para completar o processo biológico de purificação e eliminar os riscos de contaminação.

No entanto, se forem fundas demais acabam sendo pouco econômicas, por conta do caimento da tubulação. O ideal é que sejam construídas na altura lado do banheiro, para evitar curvas nas canalizações.

A distância recomendada é de 6 metros. Devem ficar num nível mais baixo do terreno e longe de poços ou de qualquer outra fonte de captação de água (no mínimo, a 30m de distância).

Para evitar contaminações, no caso de um eventual vazamento. A manutenção e limpeza das fossas sépticas é feita por empresas de desentupimento.


Instalando a Fossa Séptica

Para volumes maiores é recomendável que a altura não seja maior que o dobro do diâmetro para que a fossa funcione bem.

Dar atenção a esse detalhe, principalmente quando a fossa for de anéis sobrepostos. A instalação de uma fossa séptica pré-moldada começa pela escavação do buraco onde ela vai ficar enterrada no terreno, em seguida.

O fundo do buraco deve ser compactado, nivelado e coberto com uma camada de 5cm de concreto magro. Nas fossas de anéis sobrepostos, é preciso fazer uma camada de concreto magro.

Nas fossas de anéis sobrepostos, é preciso fazer uma laje de 7cm de concreto armado do fundo do buraco, sobre uma camada de concreto magro.


Finalmente, a fossa pré-moldada é colocada no lugar.

A tubulação que liga a caixa de inspeção (da rede de esgoto da moradia) a fossa séptica deve ter um caimento de 2%, no mínimo, ou seja, 2cm por metro de tubulação.

Para tanto, o topo do buraco da fossa deverá ficar num nível inferior ao da saída da caixa de inspeção. As fossas sépticas pré-moldadas podem ser adquiridas diretamente dos seus fabricantes.

Normalmente empresas fabricantes de pré-moldados, que também dão cotações sobre a montagem das fossas no local.


Caixa de Inspeção da Fossa Séptica

Essa caixa deve ter 60cm X 60cm e profundidade de 50cm. Deve ser construída a cerca de 2m de distância da casa, numa cavidade com as dimensões de 1m X 1m e profundidade de 0,5m a 1m.

O fundo desse buraco deve ser bem compactado e receber uma camada de concreto magro. As paredes da caixa podem ser feitas com blocos de concreto de 10cm de largura.

O fundo e as paredes dessa caixa devem ser revestidos com uma argamassa à base de cimento. A caixa de inspeção é coberta com uma placa pré-moldada de concreto com 5cm de espessura.


Fossa Séptica e Sumidouro entenda as diferenças

Existem diversos tipos de fossas e tratamentos baseados em processos químicos. Entre os termos mais comuns existem uma certa confusão para distinguir as diferenças entre fossa séptica e sumidouro.

A fossa séptica, ou tanque séptico, é um dos sistemas de tratamento de esgoto mais conhecidos no mundo todo. Usado principalmente em locais rurais e sem a presença de sistemas de coleta de esgoto.

No Brasil, as fossas sépticas são muito comuns em zonas rurais, fazendas, sítios, ranchos, propriedades em parques nacionais e áreas de preservação, além de propriedades próximas da praia.

Em outros países este tipo de sistema é comum até mesmo em zonas urbanas. Ou seja, a fossa séptica é uma estrutura importante e que possibilidade a qualidade de vida de muitas pessoas.

Incluindo ambientes residenciais e comerciais. O sumidouro faz parte do sistema de fossa séptica e desempenha uma importante função na hora de tratar os efluentes da residência.

Ele precisa ser instalado de acordo com as regras que impõe a distância mínima e o tipo de solo em que ele precisa ser colocado.

A ideia do sumidouro, como o nome já indica, é destinar parte dos efluentes para “sumir” no ambiente, sem prejudicar a flora, fauna e recursos naturais do ambiente.


Fossa séptica como funciona

A fossa séptica é um sistema de tratamento de esgoto de baixo custo. Mas isso não significa que o seu processo seja simples.

A fossa séptica funciona através de diversos processos químicos e biológicos para garantir o tratamento dos dejetos e anular os efeitos nocivos à natureza.

A primeira etapa do funcionamento da fossa séptica é a coleta do material dentro do tanque séptico. O primeiro processo se chama decantação. Neste momento a gravidade faz a função de separar os líquidos dos sólidos.

Os dejetos sólidos ficam depositados no fundo do tanque, formando o que é chamado de “lodo”. Logo após a separação entre as partes sólidas e líquidas do esgoto começa o processo de decomposição.

Este é um procedimento complexo, realizado por bactérias anaeróbicas que para realizar a sua função precisam estar saudáveis.

Este processo libera gases que escapam pelas válvulas de saída da fossa. A ideia é que as bactérias também neutralizem boa parte da nocividade dos gases.

Permitindo que eles voltem para o meio ambiente de forma menos agressiva. Após este processo os dejetos ficam divididos entre lodo, dejetos líquidos e escuma (camada quase sólida que boia na parte líquida).

Conforme o tanque séptico vai enchendo, o líquido passa a ser despejado na parte inferior do segundo tanque, onde ele é filtrado por elementos naturais, como cascalho e areia.

Este é o último processo antes do líquido ir para o sumidouro.


Sumidouro como funciona

Depois de todo o processo descrito logo acima, o líquido é depositado no sumidouro. O sumidouro é uma peça importante e que tem diferenças de funcionamento dependo da área instalada.

Mas a ideia principal é que ele filtre a água dos dejetos em um filtro natural de cascalhos e pedras. Como estas estruturas são quase sempre instalados em áreas rurais.

A função do sumidouro é devolver o líquido para a natureza através do solo. Em alguns casos mais raros, o sumidouro pode ser ligado com outras tubulações para destinar todos os dejetos da fossa.

O sumidouro tem uma conexão com o solo. Através desta conexão lentamente devolvido para o solo de maneira segura e sem prejudicar o meio ambiente.


As diferenças entre fossa séptica e sumidouro

Sabendo como cada uma das estruturas funciona é bem fácil entender as diferenças entre fossa séptica e sumidouro. O sumidouro é uma peça fundamental para que a fossa tenha um processo completo.

Desde a coleta até o correto despejo dos dejetos líquidos. Porém, o sumidouro não funciona sozinho sem a fossa, sem ela, ele é apenas “uma caixa”.